sábado, 19 de outubro de 2013

O valor não é uma simples palavra, mas sim algo que deveria ser executado.
Dar valor as coisas, as pessoas, aos momentos, as atitudes...
Dar valor a um filho, a um pai, a uma familia.
Quantos um dia gostariam de ter um pai e uma mãe sentados a mesa, e outros tendo se quer lembram-se de desejar um bom dia ao acordar.
Já pararam para pensar o quanto um "bom dia" é significativo?
O quanto um "boa noite" tem força?
Comecei a pensar nisso só depois que não os tive, o que é errado, humano mas errado!
Porque damos valor as coisas somente quando perdemos?
Porque não nascemos gratos por estar tendo a oportunidade de desfrutar desse mundo?
Olhe a sua volta e perceba todos que o rodeiam. Note seus rostos...
Já havia percebido o quanto eles lhe são familiares e ao mesmo tempo estranhos?
Muitas vezes escuto meu eu, ou alguém que me rodeia dizer:  -como queria voltar no tempo e fazer diferente...
Muitas pessoas gostariam de voltar no tempo, eu gostaria!
Se voltasse, com certeza aproveitaria tão mais minha infância, daria muito mais valor aos "bons dias" e " boa noites" que pareciam tão rotineiros.
Vivemos em um mundo preocupado com a estética, com a moda, com o padrão social.
E o amor, e o bom dia? Existem?
Familias fantasmas que nem se quer olham um filme juntos no sofá da sala.Irmãos que nunca se fizeram confidências, a não ser fatos que ambos tenham de esconder dos pais!
Dar valor as coisas somente quando se perde é burrice!
Não espere perder para se arrepender. Antes de fazer algo, vise se não vai magoar ninguém.
Uma lágrima escorrida é um sorriso perdido.





Nenhum comentário:

Postar um comentário