quinta-feira, 27 de agosto de 2009

"História de vida"


Somente quando perdemos tudo, passamos realmente a entender o quanto era importante aquele elemento que por ventura nos falha nesta hora.Os detalhes antes insignificantes tornam-se hoje indispensáveis para o decorrer de suas caminhadas... Os beijos de boa noite, naquela época não eram de grande importância, mas hoje ambos dariam tudo para ouvi-los e senti-los novamente.Se talvez imaginassem o quanto todo aquele mundo era fantástico, teria aproveitado cada segundo como se fossem o último, como se todo aquele tempo fosse precioso e limitado, o que, no entanto foi o acontecido. Infelizmente jamais poderão voltar a ter o carinho daquele triangulo, que por mais que encontrasse buracos em sua caminhada estava sempre unido como a raiz de uma figueira...Como ponteira deste triangulo estava lá, mulher guerreira que jamais deixou que nada fizessem com seus protegidos. Tal os amava mais que tudo e por eles destinava cada precioso segundo de sua vida. Mulher solteira tinha que ser pai e mãe, papel este que a tal cumpria com imensa determinação. Embora não tivesse muitas condições sempre buscou dar o melhor para seus frutos, além de fornecer o que tinha de mais divino em sua alma, o amor verdadeiro de mãe. Eles, por ventura não obtinham tamanho conhecimento que seu porto seguro, ainda desconhecido, estava se esgotando em cada batimento de seus corações eufóricos...Tão frágeis tiverem que enfrentar, na época do acontecido, a tempestade mais severa dos seus últimos anos. Não tinha tamanho conhecimento da reviravolta que suas vidas dariam em um se quer piscar de olhos. Talvez seja por isso que pareciam tão frios.Tempos foram passando e com isso os pontos começaram a se encaixar e então ambos perceberam que aquela flor não voltaria a colorir seus jardins, a fonte tinha secado até mesmo os passarinhos não cantavam harmonicamente como costumeiros de cada manhã. Tudo estava tão claro agora, mas ainda com pouco entendimento. Por que ela os deixaria? Não havia uma explicação obvia para este abandono, ela havia lhes feito a promessa de aquecê-los nos dias frios, cuidados quando doentes e não deixar que nada de ruim os acontecesse, mas, no entanto quando eles mais a precisavam, ela tinha se ido para nuca mais voltar.Eram tantas as perguntas sem respostas. Um turbilhão de pensamentos unidos formando uma avalanche de sentimentos entorpecidos e prontos para estourar seu peito como uma bomba destruindo tudo ao seu redor.O tempo passou e seus frutos encontraram em outros ' anjos ' o alicerce necessário para seu crescimento, unidos como um só corpo, seguem sua caminhada, ainda que curta, com tombos e tropeços, almejando um futuro sonhador

' Katherine Hernandorena '

'Te olho nos olhos e você reclama que te olho muito profundamente. Desculpa! Tudo o que vivi foi profundamente!Eu te ensinei quem sou e você foi me tirando os espaços entre os braços, guarda-me apenas uma fresta. Eu que sempre fui livre não importava o que os outros dissessem. Até onde posso ir para te resgatar? Reclama de mim como se houvesse a possibilidade de eu inventar de novo, desculpa. Se te olho profundamente, rente a pele, a ponto de ver seus ancestrais nos seus traços, a ponto de ver a estrada muito antes dos seus passos.Eu não vou separar as minhas vitórias , dos meus fracassos.Eu não vou renunciar a mim, nenhuma parte, nenhum pedaço do meu ser vibrante, errante, sujo, livre, quente.Eu quero estar viva e permanecer te olhando profundamente'

terça-feira, 25 de agosto de 2009

' Somente quando fores de encontro ao local pelo qual teus pensamentos voavam feito andorinhas, talvez terás a vontade de me levar junto a ti, mas preciso que entendas que meu jeito de menina é somente uma característica da delicadeza de uma bela flor que é capaz de enfrentar severas tempestades...
Ao longo das invernadas que ambos passaremos juntos, mostrarei a ti que minha alma fez morada em teu coração e que o afastamento que ambos tínhamos entre nós foi um erro do passado e que nossas almas temem que se repita...
A flor somente desabrochara quando os pássaros assoviarem em minha janela ao amanhecer e o pôr do sol anunciar o encerramento do dia '





'Katherine Hernandorena'