domingo, 8 de maio de 2011

As que já partiram, agradecimentos eternos e saudades incessantes
As que persistem, obrigada pela paciência
As que virão, sejam perfeitas da maneira que lhes carece!
As que por ventura partiram nos resta à lembrança, a busca pelas palavras doces, pelos ensinamentos, pelos apelos, apoios, afagos. Distribuídos em um mundo único, envolvido de amor maternal. Esse amor habitante de um ser, que protege, que educa, que defende, que acaricia, que mesmo distante sempre estará presente em nossos corações e em nossas lembranças mais sublimes.
Onde quer que elas estejam, gostaríamos que soubessem que foram únicas, impecáveis na maneira mais fácil de ensinar a amar, fundamentais cedendo as asas primordiais que um dia precisaríamos para voar.
As que persistem, um afago doce. Momento de rever o quão importante é sua existência, o quão difícil seria se não existissem. A falta que faria o almejado abraço doce, e encorajador. A fala mansa suplicando calma e paciência. A desculpa sincera quando invasivas, quando surpresas!
Momento de agradecimento, de gratidão... Se não fosse você cara mãe, não teríamos a graça divina de dar-te netos, não saberíamos caminhar pelo destino, tampouco ousaríamos ir em busca. Não almejaríamos tamanho crescimento, sem um espelho tão valioso, que por amar imensamente, absorve apenas as qualidades, transformando os defeitos em pequenos deslizes.  Que por instinto choram junto,  sofrem amargamente, e amam intensamente!
As que acolheram as palavras não cabem. Tamanho coração, tamanho amor por um ser que, mesmo não tendo saído de seu ventre, torna-se seu. Mulheres estas que protegem muito mais, que amam da maneira que lhes cabe, preocupam-se absurdamente e sonham com nossas vitórias. Mulheres espelhos!  Sejam elas mães, irmãs, tias ou avós, todas fiéis ao compromisso de AMAR!
Nossas melhores amigas, companheiras e observadoras de nossa evolução. Muitas vezes despreparadas, não compreendem tamanho avanço, não distinguem tal crescimento. Crescem junto, buscam junto...
Mães estas amam seus filhos mais que a si mesmas!
Mulheres estas que muitas vezes são mãe, pais, amigas, irmãs mais velha, e mais nova também, confidentes, conselheiras...
Se houvesse uma palavra que resumisse tudo que uma MÃE precisaria ouvir, diríamos OBRIGADA!...
E caso queiram um conselho, aqui ficará a dica!
Não deixe escapar dos olhos o que lhes permite clareza, pois com o passar dos anos, o nítido se ofusca, restando-nos apenas as lembranças que vagam por nossa mente solitária!
Sejam pacientes! Não permitam-se perder o desfrute de tal amor, pois este é único!
A todos estas flores dedico o perfume mais puro, e que todos possam perceber sua verdadeira magnitude.
      Jamais se esqueçam que Deus pode nos tirar a luz, mas sempre nos fornecerá lanternas! Logo, caberá a nós nos adaptarmos com a luminosidade presente!

Feliz Dia das Mães!