sábado, 31 de julho de 2010

Sabe as coisas mais simples? como tomar banho de chuva, um abraço apertado, uma amizade verdadeira, um olhar diferente, palavras sinceras, olhar pro céu, contar as estrelas, um sorriso, andar de mãos dadas, um amor verdadeiro... Então, é NISSO que eu reparo, e é DISSO que eu gosto.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

 Eu desabafei!


Toda a minha vida, aliás a minha pouca vida, procurei  pessoas que me dessem segurança, amigas que me fizessem rir, amigos que soubessem meus anseios, meninas que fossem parceiras... Procurei algo tão banal e acabei encontrando.
Vivi momentos únicos, partilhei de aventuras inigualáveis, comi comidas saborosas, lambuzei-me de sorvete inúmeras vezes, chorei apenas por chorar, sorri mesmo sem saber do que...
...Todavia tive perdas também, quem não tem não é mesmo? Perdi pessoas que eram minha base, perdi amigos, perdi cachorros, papagaios e caturritas, é perdi, mas embora tivesse perdido  o que me era essencial, ganhei muitas  em troca... amigos, família, é bichos não, uahsaus.
Fui redescobrindo como as musicas encantavam os ouvidos e descobri em um exato momento a magia da primavera. As flores desabrocham sabia? Eu nem pensara nisso, elas sempre fazia aquilo naquela época, porque eu ia de me importar. E os pássaros, tamanha beleza que carregam em cada batida de suas asas, como fui tola em ofuscar meus olhos...
Meu afilhado, á alguns meses atrás durante uma caminhada para sua escola, perguntou-me o porquê as pessoas corriam tanto... Achei estranho para uma criança de 3 anos me fazer esta pergunta, mas respondi: “É porque elas estão trabalhando, não podem perder tempo”, ele voltou a falar; “ Então é por este motivo que elas não brincam na pracinha, nem passeiam como nós fazemos todo dia”...parei por alguns minutos pensativa, diante daquela afirmação percebi o quanto as pessoas correm durante o dia, e ao termino de seu expediente, saem cansadas diretamente para suas casas e nem param para olhar um por do sol... Talvez se prestassem uma mínima atenção em um beija flor, em um pássaro que rompe o céu lá no alto, se sentissem o cheiro que a flor propaga, se saíssem do stress de um dia difícil e fossem tomar um sorvete, bom nos dias frios que estão fazendo aqui no sul, um chocolate quente é bem mais apropriado!
E necessário que essas pessoas vejam a beleza que ainda nos é fornecida. Quem vê pela primeira vez com os olhos limpos, consegue sonhar e até mesmo ilusionar um mundo melhor....deixem que as andorinhas os acordem na janela, que as flores perfumem as tardes mais cinzentas, que até mesmo o sorriso de uma criança faça repensar momentos que nunca mais irão voltar.
As crianças sabem, elas sentem e vivem todos os momentos como se fossem únicos!
Permita-se voltar a ser criança um dia desses!

( Katherine Hernandorena)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Une todas as coisas como eu poderia explicar um doce mistério de rio com a transparência de um mar ?
Une todas as coisas quantos elementos vão lá ... sentimento fundo de água  com toda leveza do ar
Está em todas as coisas até no vazio que me dá quando vejo a tarde cair e ... não está
Talvez  saiba de cor tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar !
Só precisa existir para me completar
Une o mar com o meu olhar
Une as quatro estações
Une dois caminhos num só
Sempre que eu me vejo perdido une amigos ao meu redor
Só precisa existir para me completar

A Avenida das Lágrimas

Quando a primeira vez a harmonia secreta
De uma lira acordou, gemendo, a terra inteira,
- Dentro do coração do primeiro poeta
Desabrochou a flor da lágrima primeira.

E o poeta sentiu os olhos rasos de água;
Subiu-lhe â boca, ansioso, o primeiro queixume:
Tinha nascido a flor da Paixão e da Mágoa,
Que possui, como a rosa, espinhos e perfume.
E na terra, por onde o sonhador passava,
Ia a roxa corola espalhando as sementes:
De modo que, a brilhar, pelo solo ficava
Uma vegetação de lágrimas ardentes.Foi assim que se fez a Via Dolorosa,
A avenida ensombrada e triste da Saudade,
Onde se arrasta, à noite, a procissão chorosa
Dos órfãos do carinho e da felicidade.Recalcando no peito os gritos e os soluços, 
Tu conheceste bem essa longa avenida,
- Tu que, chorando em vão, te esfalfaste, de bruços, 
Para, infeliz, galgar o Calvário da Vida.Teu pé também deixou um sinal neste solo;Também por este solo arrastaste o teu manto...
E, ó Musa, a harpa infeliz que sustinhas ao colo,
Passou para outras mãos, molhou-se de outro pranto.


Mas tua alma ficou, livre da desventura,
Docemente sonhando, as delícias da lua:
Entre as flores, agora, uma outra flor fulgura,
Guardando na corola uma lembrança tua...
O aroma dessa flor, que o teu martírio encerra,
Se imortalizará, pelas almas disperso:
- Porque purificou a torpeza da terra
Quem deixou sobre a terra uma lágrima e um verso.
Teu romantismo bebo, ó minha lua,
A teus raios divinos me abandono,
Torno-me vaporoso... e só de ver-te
Eu sinto os lábios meus se abrir de sono.
 

               (Álvares de Azevedo, “Luar de verão”)
Porque a Beleza, gêmea da Verdade,
Arte pura, inimiga do artifício,
É a força e a graça na simplicidade! 
                                                             
(Olavo Bilac)
Oh! ter "Dezesseis" anos sem gozar de leve
A aventura de uma alma de donzela!
E sem na vida ter sentido nunca
Na suave atração de um róseo corpo
Meus olhos turvos se fechar de gozo!
Oh! nos meus sonhos, pelas noites minhas
Passam tantas visões sobre meu peito!
Bate meu coração com tanto fogo!
Um doce nome de mulher...e vejo lânguida
Seminua, abatida, a mão no seios.
Perfumada visão romper a nuvem,
Sentar-se junto a mim, nas minhas pálpebras
O alento fresco e leve como a vida
Passar delicioso... Que delírios!
Acordo palpitante....inda a procuro;
Embalde a chamo, embalde as minhas lágrimas
Banham meus olhos, e suspiro e gemo...
Imploro uma ilusão... Tudo é silêncio!
Só o leito deserto, a sala muda!
Amorosa visão, mulher dos sonhos,
Eu sou tão infeliz, eu sofro tanto!
Nunca virás iluminar meu peito
Com um raio de luz desses teus olhos?


Álvares de Azevedo( adaptado)