quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Adeus ao sorriso que parte e já não sabe se volta!

Sabe, estive pensando a respeito desses episódios que vem se repetindo, dia pós dia, noite pós noite, semana pós semana!
Será mesmo que merece tanta inquietação, será mesmo que todo esse esforço vale a pena?
Eu já não sei mais, me sinto, nesse instante perdida. Certeza do que sinto, eu tenho e como tenho, mas de nada é feito de uma só alma!
E este sol que hoje não nasce, essas nuvens que elevam minha melancolia, esse cheiro de terra molhada que infiltra-se pelas minhas narinas e toma meu  cérebro.
Eu fico nesse devaneio, pra não lembrar das inúmeras palavras que transcorrem meus pensamentos atordoados de tantas fatalidades que vem transbordando em minha vida como se fossem cata-ventos fazendo seu trabalho em dia de ventania.
Os momentos fazem com que a noites pequenas, tornem-se grandes e solitárias.
Faz com que as musicas já não tenham mais sentido, e o vento sopre por soprar.
...
Mas em meio a tudo isto, me lembro que o sol é sozinho e não é por isso que ele deixa de brilhar.

Hoje não consigo desabrochar como antes, hoje  me sinto vazia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário