segunda-feira, 26 de julho de 2010

Teu romantismo bebo, ó minha lua,
A teus raios divinos me abandono,
Torno-me vaporoso... e só de ver-te
Eu sinto os lábios meus se abrir de sono.
 

               (Álvares de Azevedo, “Luar de verão”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário